FOSS
MENU
FOSS

Com NIR, você sabe onde pisa

Por Richard Mills, rim@foss.dk
A análise por infravermelho próximo (NIR) tornou-se indispensável para a fabricação moderna de alimentos, mas como os usuários podem ter certeza de que todos os seus instrumentos NIR estão sempre funcionando perfeitamente? A Bay State Milling Company encontrou a resposta na forma de um sistema chamado FossAssure.

A Bay State Milling Company possui, atualmente, 16 instrumentos NIR para farinha em diferentes unidades nos EUA. Todos eles são mantidos para apresentar o melhor desempenho possível e, como a maioria dos instrumentos modernos NIR de hoje em dia, são altamente estáveis. Mesmo assim, é preciso muita atenção para verificar se tudo está funcionando perfeitamente, todos os dias, nos ambientes frequentemente empoeirados e sujeitos a vibrações dos moinhos nos quais precisam operar.

Com este objetivo em mente, os profissionais de controle de qualidade da Bay State Milling Company juntaram-se aos desenvolvedores da FOSS para ajudar a criar o sistema da FOSS que hoje é conhecido como FossAssure. Ele vem proporcionado vantagens operacionais e tranquilidade, além de abrir caminho para o aprimoramento contínuo dos procedimentos de controle de qualidade.


Desempenho que não para

Os instrumentos em uso são os analisadores FOSS NIRS DS2500, que são usados primariamente para a medição dos parâmetros fundamentais do controle de qualidade de farinhas, tais como umidade, proteína e cinzas.

“Escolhemos o instrumento pela sua precisão e estamos muito contentes com essa decisão”, afirma Jennifer Robinson, VP de garantia de qualidade corporativa. “No entanto, esse instrumento só terá um bom desempenho se for bem mantido. Tenho interesse na saúde dos meus instrumentos – estamos realizando manutenção preventiva? E temos algum problema de vibração e temperatura?”

 

As variações de temperatura e os ambientes empoeirados dos moinhos são apenas algumas das ameaças mais óbvias ao desempenho dos instrumentos NIR.

 

Em um mesmo ambiente virtual
Com o sistema FossAssure, os instrumentos são monitorados pela equipe de suporte da FOSS para que você tenha a certeza de que apresentam um desempenho consistente. Os relatórios mensais sobre desempenho incluem alertas sobre possíveis problemas antes que possam afetar o desempenho do instrumento e causar paralisações caras. De acordo com as verificações de diagnóstico, a pessoa que presta suporte também pode determinar a estabilidade dos instrumentos de acordo com as normas oficiais.

Com informações regulares sobre a família de instrumentos, a pessoa de suporte rapidamente se tornou um contato de confiança, familiar com a organização Bay State Milling Company, suas unidades e seus instrumentos, estando plenamente informada para poder fazer as recomendações certas. “Não é fácil ficar conectado com todos os 16 instrumentos” diz ainda Robinson. “Uma vantagem para mim é saber que um especialista da FOSS está revisando o desempenho dos meus instrumentos e obter um relatório resumido que me diz se tudo está bem ou se há algo com o que se preocupar.”

 

Ganhos práticos
Sem o FossAssure, Robinson teria que fazer muito mais coisas ‘na prática’, ao realizar as verificações manuais em diferentes unidades, bem como pegar os relatórios e revisar as informações.

Apesar de uma lâmpada queimada, flutuações de temperatura e dos ambientes empoeirados dos moinhos serem algumas das ameaças mais óbvias ao desempenho, outro fator é como os procedimentos operacionais padronizados estão sendo realizados. Por exemplo, é preciso limpar corretamente os filtros e copos de amostra, bem como realizar os diagnósticos com base em procedimentos detalhados adotados em toda empresa sobre como os operadores devem usar os instrumentos.

É aqui que o aspecto de conectividade do programa FossAssure é uma enorme vantagem. “Eu trabalho com controle de qualidade há 24 anos e o desenvolvimento de software de rede é um dos maiores desenvolvimentos do setor”, diz Robinson. “Eu posso me sentar em minha sala e ver se uma instalação está operando sem problemas, se os diagnósticos estão sendo realizados e assim por diante.”

Além disso, caso a Bay State Milling Company precise ligar para falar sobre algum problema, a ligação é para alguém que esteja intimamente familiarizado com os instrumentos, pois a equipe de suporte não vai começar do básico em termos de políticas, manutenção e outros.

Com os dados relevantes disponíveis, fica fácil e simples analisar um problema mais a fundo. “Um desafio com o qual frequentemente me deparo é que, quando você trabalha na fábrica e o instrumento parece funcionar direito, todo mundo fica feliz,” diz Robinson. “Só que, quando você começa a obter resultados fora das especificações, aí é que o problema começa – é o processo ou é o instrumento? Com o FossAssure, podemos indicar e demonstrar que o instrumento não é a fonte do problema. Ele oferece tranquilidade, porque eu sei que alguém com o treinamento certo está de olho nos instrumentos e na maneira de funcionarem.”

Os três pilares do aprimoramento contínuo
Ao manter não só um, mas a família inteira de instrumentos funcionando com máximo desempenho agora é uma realidade prática do dia a dia, que proporciona o aprimoramento ainda maior dos procedimentos de controle de qualidade.

A outras pessoas que estão considerando um sistema similar para suas operações analíticas, Robinson descreve três passos. Primeiro, selecione um instrumento no qual pode confiar para fornecer, consistentemente, resultados precisos. Segundo, fique com o FossAssure. E terceiro, desenvolva políticas e procedimentos sólidos para manter o desempenho por todo um grupo de instrumentos, aproveitando os conhecimentos e a especialização que a FOSS tem a oferecer. “Dessa maneira, você pode se colocar em um ciclo positivo de aprimoramento contínuo”, ela conclui.


  “Eu trabalho com controle de qualidade há 24 anos e o desenvolvimento de software de rede é um dos maiores desenvolvimentos do setor”
Jennifer Robinson

 

Artigos e vídeos

Carregar mais